quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Por um Socialismo de verdade em vez de uma externalidade capitalista

Harto de falsos profetos por Ignacio Palomo Duarte (Flickr , Creative Commons)
A atual briga entre Capitalismo e Socialismo, como os conhecemos, nunca vai acabar, pois o Socialismo não deixa de ser uma externalidade, em seu sentido econômico, do próprio Capitalismo, ou seja, uma consequência não planejada ou não objetivada — como um filho de um encontro sexual casual talvez até com o uso de camisinha. A poluição é uma externalidade de algumas indústrias, por exemplo. O Capitalismo visa o lucro e as consequências sociais e ambientais são externalidades econômicas.

Não obstante, o Capitalismo defende a criação de riqueza por meio do trabalho humano, que é a capitalização ou contablização do trabalhador, isto é, o humano como Ativo (meio de produção) ou Passivo (gastos de produção) de um Balanço Patrimonial. Em outras palavras, números. O Socialismo, por meio de Sindicatos dos Trabalhadores por exemplo, busca oferecer condições humanas e sustentáveis do emprego, e mais além, busca o enriquecimento por meio de salários cada vez mais altos. Ou seja, luta para que humanos não sejam números mas sócios, pessoas com os mesmos direitos humanos que possam compatilhar as riquezas que mercem por terem produzido ou paticipado da produção.

O Capitalismo, nessa estrutura puramente financeira, não é sustentável pois visa o lucro privado tendendo à exploração humana, chegando até mesmo a diferentes graus de escravidão. A escravidão no Brasil é um agravante que marca o Capitalismo como um sistema Imperial Capitanista que logo foi golpeado ou sofreu derrame por meio da Proclamação da República em 15 de Novembro de 1889, cerca de meio século depois da Primeira Revolução Industrial que ocorreu aproximadamente entre 1760 e 1820-40. O Capitalismo é originalmente um sistema imperial britânico, desde esse momento que engendrou a burguesia e o proletariado como conhecemos hoje, e a luta de classes.

Essa capitalização que transformou trabalhadores (como os artesãos) em meros operários (condutor de máquinas alienados da criação) desumanizou a socidade, de modo que hoje se tem Pessoas Jurídicas no lugar de Nobres, Pensadores etc. São os governadores poderosos, não mais pessoas físicas. O mundo, ao meu ver e em parte, está caótico pois está sendo dirigido por legiões, que, como apontam alguns especialistas em pessoas, as Pessoas Jurídicas, em geral, possuem perfil de um psicopata, incapazes de ver as consequências de seus atos egoístas. Apenas vejam o caso da Vale que não se culpa pelo rompimento da barragem que destruiu a vida de muitos.
Então Jesus lhe perguntou: "Qual é o seu nome? " "Meu nome é Legião", respondeu ele, "porque somos muitos". — Marcos 5:9
O Capitalismo levou ao acúmulo de posses, e como apontam alguns estudos culminou nas duas Grandes Guerras Mundiais. A segunda marca o fim dos Impérios, como os Britânico, Austro-Húngaro ou Alemão, Japonês, Francês etc. e transformou os EUA numa espécie de império financeiro, que possivelmente instigou o ataque terrorista das torres gêmeas (World Trade Center) de Nova York em 11 de setembro de 2001. Lembrando que a última Grande Guerra terminou em Guerra Fria entre os EUA e a URSS, hoje apenas Rússia. O primeiro representando o Capitalismo e a segunda representando o Comunismo que logo se transformou em Stalinismo, uma forma concentrada de poder como é característica do Fascismo e do Nazismo; outra forma de império.

Por fim, importa superar o modelo socialista que apenas tem buscado desviar dinheiro, tomando o dinheiro dos ricos para dar aos pobres. Penso que o Socialismo é a Humanização do Capitalismo, ou seja, a missão Socialista é fazer o capital trabalhar para sociedade em vez de tomar posse dos direitos dos outros e impedir que a socidade trabalhe para o capital. Precisamos sim de salários mínimos dignos de viver humanamente, hoje em torno de R$ 4.000,00 e Educação e Trabalho Qualificado para recebê-lo. Um empresário pode ser socialista desde que seu objetivo seja criar valor social, entregar soluções benéficas à sociedade. Um traficante de drogas e cafetão não deixa de ser um capitalista.

O Socialismo consiste em transformar o Capitalismo em sistema ou ferramenta sustentável de manutenção da vida. Pagar salários dignos a pessoas dignas é Socialismo. Cuidar e curar os doentes é socialismo. Socialismo é dar condições à uma sociedade sustentável de Bem Estar. Socialismo é Educação. Educação é o processo de florescimento e frutificação humana. Socialismo é criar, produzir enquanto que capitalismo é consumir. Essa é a minha opinião até aqui. Fiquem livres para corrigir, especialmente dados históricos, ou refutar, demonstrando bons argumentos ou teorias.

sábado, 2 de fevereiro de 2019

Igreja, o templo de Lúcifer: o Portador da Luz


Já li em algum lugar e já me disseram também, na minha busca ou pequisa espiritual,  que Lúcifer significa Portador da Luz. Nesse sentido, ao meu ver a igreja — do padre, ou pastor, ao papa — são os portadores da luz de Deus ou Jesus. Isso não é uma tentativa de difamar a Igreja, mas uma constatação para que saibam diferenciar a Igreja da Palavra de Jesus, o próprio Deus.

Além disso, se diz que a A Bíblia Sagrada é a Palavra de Deus mas sabemos que os Evangelhos foram escolhidos pelos humanos. Também se diz que Jesus é o Verbo que se fez carne, ou seja, a Palavra de Deus ou o próprio Deus em ação porque Deus é a Vida, o Caminho e a Verdade. O próprio Senhor Jesus pode ser identificado como Lúcifer no sentido de Portador da Luz mas talvez seja mais aprorpiado dizer que Jesus é a Luz mesma, como aquele que viveu a vida em verdade.

Com efeito, resumir-se a ir à missa e se limitar a participar da igreja e aos sermões dos homens é cultuar Lúcifer. Deus sendo o Caminho, a Verdade e a Vida não estará na igreja mas onde se estiver em seu Nome. O Caminho é sua Vida em Verdade vivida. O que é a Verdade? Buscai a Verdade e Ela o fará livre. O Reino de Deus está dentro e não fora. Você é o Templo e o Coração o Altar. A Igreja é sua Família.

Portanto, se seus pais não são cristãos verdadeiramente (fiéis) pouco adianta ir à igreja para encontrar Deus, pois a igreja de fora é Lúcifer. Tampouco basta se basear na bíblia pois essa não é o Verbo. A Palavra Viva é a Vida mesma, aquele que vive em Verdade. Assim, a Palavra de Deus é uma história, uma biografia, uma narrativa com muitos aspectos simbólicos ou mesmo parabólicos. Você como pai ou mãe de família será a Luz do seu filho ou filha.

Para saber mais leia meu outro Blog: Yoga e Filosofia

terça-feira, 4 de setembro de 2018

[ENTREVISTA] Grazielle C. David fala sobre Desigualdade, Austeridade e Reforma Tributária (via Portal Vermelho)






O Socialismo, em minha opinião, é o meio para uma sociedade justa, livre e solidária; próspera, rica e de bem-estar bem: é o caminho do meio, do equilíbrio. Fica entre o Capitalismo e o Comunismo.  A Guerra Fria não foi uma luta entre Capitalismo e Socialismo e sim Capitalismo (EUA) contra Comunismo (URSS). Na teoria marxista o Socialismo é apenas uma etapa antes do Comunismo, mas essa ideia é contraditória, pois o Socialismo precisa do Capitalismo, assim como o Capitalismo necessita do Socialismo. O Socialismo, ao meu ver, nada mais é do que a distribuição de riquezas gerada pelo Capitalismo, e não pelo trabalho do outro.

Pirâmides do Egito
Pirâmide invertida do Carrousel du Louvre, França

No Capitalismo temos a concentração de riqueza (o Capital), no Comunismo a concentração de poder (o Estado). Capitalismo e Comunismo fazem parte de uma mesma pirâmide egípcia que luta pelo pico ou cume que representa o Poder. Juntos formam a Oligarquia (Estatal) e o Monopólio (Capital), uma espécie de Monarquia Absolutista. O problema do Comunismo é que sua proposta visa apenas inverter a pirâmide de cabeça para baixo, o que é impossível exceto se estiver enterrada. Essa pirâmide é válida como estrutura hierárquica e não como estrutura social. Quem está no topo da pirâmide hierárquica não é necessariamente o mais rico ou o mais poderoso, e sim o mais Responsável. Entendo que o Socialismo deve distribuir a riqueza do topo para a base como as montanhas formam rios que desembocam nos oceanos.

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Por que o Brasil é um país atrasado?


Vídeo em inglês: Porque alguns países são pobres e outros ricos



São três ponto levantados no vídeo:
  1. Instituições e Desenvolvimento Econômicoresponsável por 50% da riqueza-comum.
  2. Cultura e Religião: A Mente Humana e a Construção da Ética e da Qualidade de Vida Individual e Coletiva — responsável por ~20% da riqueza-comum.
  3. Geografia: Brazil's Geography Problem — Latitude (Clima e Conexão Internacional) responsável por 10% da riqueza-comum.



sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Pensando sobre Privatização!


Quando se fala em privatização muitas possibilidades se abrem; eu realmente não tenho certeza do que os políticos e os empresários querem dizer com privatizar os -bráses: Petrobrás e Eletrobrás; entre outros. Acredito que não se deve privatizar Serviços Públicos, é até mesmo contraditório, pois são as verdadeiras coisas públicas ou res publica. Tais como Abastecimento de Água potável, Fornecimento de Energia Elétrica, Saneamento Básico, Educação, Comunicação, Logística, Saúde e Segurança; são serviços públicos.

Quando se fala em privatizar subentende-se tornar lucrativo em que apenas um pequeno grupo de pessoas se enriquece, assim a democracia, ou o poder do povo, fica comprometida. É claro que a competitividade é importante, mas neste caso penso que criar metas e bonificações são válidas. O objetivo de algumas empresas não pode ser o lucro, portanto, devem ser organizações de interesse público sem fins lucrativos. O que pode e talvez deva ser feito é "privatizar" a Administração, como nas empresas de capital aberto em que os donos não administram, deixam com o CEO indicado pelos investidores, representantes do povo. Talvez outras empresas para atender demandas. Neste caso o Estado deve ser proprietário majoritário com 50%, por exemplo.

Aqui em Maringá, a UEM, por exemplo, pode continuar sendo pública mas com a Administração nos mesmos modelos que o do setor privado, contratando e demitindo por meio de entrevistas, currículos etc., ou seja, passível de serem demitidos por justa causa e com salários compatíveis ao do Mercado. Mas para que esse sistema funcione, provavelmente será necessário um governo parlamentar e voto distrital para escolher melhor os responsáveis. E, de um modo geral, em vez de ser gratuita, pode se adotar o sistema de voucher, ou seja, um cartão de crédito específico para Universidades homologadas pelo Estado, gerando assim competitividade entre o setor público e privado.

A Educação Pública pode funcionar como tem sido implementado pelo Exército por exemplo, com um compromisso de servir e honrar o Brasil. De certa forma, penso que tudo do Setor Público passa pela Segurança e Defesa Nacional em que os trabalhadores devem se alistar; o Governo é naturalmente militar.

Até mesmo a imigração passa por uma questão de Segurança. Os imigrantes para morar no Brasil devem ser filtrados para fortalecer o respeito às nossas leis, constituição, costumes etc. Países de desenvolvidos parecem compartilhar de visão, missão e valores semelhantes. Por isso, as religiões possuem sempre papel essencial na unificação do povo.

E, particularmente, não acredito que uma Igreja Romana — criado pelo império romano em sua decadência — possa unificar o povo brasiliano, nem mesmo o estudo da letra morta da Bíblia ou das palavras de Jesus Cristo que é descendente do Rei Davi de Judá (Israel com a capital em Jerusalém). O Reino Unido Britânico, embora cristão (protestante, anglicano) tem como chefe da igreja não o Papa de Roma e sim o próprio Chefe de Estado ou Rei/Rainha, hoje a Rainha Elizabeth II.

Privatizar? Somente nesses moldes e com vendas para brasilianos e em alguns casos por aliados.